Spleen e charutos

fevereiro 3, 2012

O artista e a transformação da paisagem

Filed under: Spleen — spleencharutos @ 9:13 pm

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br

Dois anos jogando tinta no meio da rua

O artista visual Fábio Sampaio sempre soube que, para respirar de fato, as cidades não precisam somente de árvores. Além de sombra e verde, além de ciclovias e civilidade no asfalto, o cidadão carece do reflexo de suas feições no espelho dos dias. Foi pensando nisso, em função de uma fome para a qual o pão não basta, que Sampaio se propôs a jogar tinta no meio da rua.

A iniciativa não poderia ser mais oportuna. Ao longo de sua carreira, o artista se acostumou a provocar até os mais distraídos com as intervenções urbanas reunidas recentemente em um catálogo. O maior instantâneo de sua ousadia, no entanto, é mesmo a paisagem.

Entre todos os frutos do trabalho realizado por Sampaio, o projeto Caju na Rua é o mais simples e pretensioso. Na aparente contradição inerente a uma empreitada de execução pouco elaborada e a comunicação imediata estabelecida com a comunidade, a grande sacada.

Lugar de poesia é na calçada – A primeira edição do Caju na Rua transformou Aracaju numa verdadeira galeria a céu aberto. Inspirado pelo Cow Parade, o projeto distribuiu 11 esculturas de uma das frutas mais caras à identidade sergipana em pontos estratégicos da capital. Através da customização das peças, os artistas que fizeram parte do projeto – Zé Fernandes, Madureira, Edidelson, Hortência Barreto, Antônio da Cruz, João Valdênio e Elias Santos, entre tantos outros – prestaram uma homenagem sincera ao aniversário de Aracaju.

Nesta segunda edição, os artistas que farão parte do Projeto serão selecionados através de edital. A curadoria do Caju na Rua avaliará as propostas enviadas a Prefeitura de Aracaju conforme regulamento que estará disponível no site da Prefeitura Municipal de Aracaju: http://www.aracaju.se.gov.br a partir da próxima segunda-feira. Poderão participar da seleção pública artistas plásticos residentes em Sergipe. A seleção começa no dia 6 de fevereiro e se encerra no dia 10. O resultado será divulgado no dia 15 de fevereiro.

Entusiasta da cultura local, Edvaldo afirma que a ação abre espaço para os artistas, embeleza a cidade e leva cultura para a população. Ele informou ainda os locais onde serão expostas as novas obras de arte. “Teremos cajus na Orla Pôr do Sol, rótula do Mosqueiro, nos Quiosques da Aruana, no viaduto Carvalho Déda, calçadão de João Pessoa, Praça da juventude, no conjunto Augusto Franco, na praça vereador Osvaldo Mendonça, no bugio, e praça Ulisses Guimarães, no Santos Dumont”, declarou.

Para a presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos, Lucimara Passos, o projeto já foi acolhido pela população de Aracaju, o que motivou a renovação da parceria firmada na primeira edição do projeto. “Esse não é um projeto dedicado aos turistas. Embora eles adorem visitar as esculturas, nossa preocupação é atender uma necessidade da população, que carecia de sua identidade expressa no cotidiano da cidade”.

As palavras de Fábio Sampaio, proferidas pouco antes do lançamento do projeto, dimensionam a ambição da empresa. “Até onde sei, Aracaju é a única capital nordestina que não possui artistas com visibilidade nacional, em grandes exposições e circuitos internacionais. Acredito que projetos grandiosos como esse podem despertar a curiosidade de outros centros e instituições. Quanto a questão dos monumentos, Aracaju realmente é um cidade carente de obras públicas. Eu espero que essa iniciativa projete uma certa ambição, não apenas na cabeça dos seus moradores, como também em quem administra a cidade. Nós temos, sim, todas as possibilidades de uma cidade mais artística”.

Anúncios

1 Comentário »

  1. Acredito q essa é uma maneira de manifestar a arte sergipana, porém outras medidas devem ser tomadas, o abandono da galeria de artes da orla é uma vergonha. Com relação a falta de artistas conhecidos nacionalmente o Fábio está muito enganado temos alguns nomes como Adauto Machado, Leonardo Alencar, Dionéia, J. Inácio, Beto Pezão (artesão) e Artur Bispo do Rosário este ultimo bastante conhecido nacional e internacionalmente. Vamos conhecer o que temos antes de falar bobagem. Mas a idéia é válida espero q não seja uma coisa apenas comercial e política.

    Comentário por Guy Fawkes — fevereiro 4, 2012 @ 7:27 am


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: