Spleen e charutos

junho 28, 2010

Poema da paixão arrependida

Filed under: Spleen — spleencharutos @ 2:47 pm

Rian Santos

Eu nasci do outro lado do oceano. Foi o canto de uma sereia que me arrastou até aqui. Agora, com os pés enterrados na areia, gasto os dias vigiando o mar.

Tenho um gosto de salgado na boca. A ferrugem de uma âncora afogada envenena o meu sangue.

Se eu pudesse voltar no tempo, se eu pudesse erguer as paredes de minha casa mais uma vez, não bateria a porta no meio do alvoroço, nem esqueceria os calçados na danação.

Saudade do aquário na escrivaninha de meu quarto. Esfrego os olhos no oceano.

Anúncios

2 Comentários »

  1. Que lindo! Talvez seja a hora de se banhar neste oceano. Faz de conta que o aquário se quebrou e o presente te acolhe..

    Comentário por Juliana Sobral — junho 30, 2010 @ 1:28 am

  2. Mais que peço autorização pra por isso lá no meu baião de dois.
    Amei! E sabes o que isso me lembrou quando li, né?!?!!?
    Beijos

    Comentário por Rita Brasileiro — agosto 6, 2010 @ 7:44 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: