Spleen e charutos

setembro 21, 2009

Torto

Filed under: Spleen — spleencharutos @ 11:45 am

Rian Santos

Há um tropeço de tocaia
Em cada um de meus passos
Eles sabem que nasci fraco
Pedaço de pano roto governado pelo vento
De que me serve andar reto
Caminho certo, já sabido
Quando o espanto corre tonto
Idiota bêbado
Desenhando curvas
Inventando esquinas no meio da rua
Eu sou um trem descarrilhado
Inimigo dos trilhos
Passageiro clandestino no escuro do vagão
Acidente impresso na forma torta em que moldaram meus passos
No susto da cartomante que se perdeu nas linhas de minha mão

Anúncios

2 Comentários »

  1. que hah com vc? pq deixou de escrever naquele diário q prefiro n pronunciar o nome? deixe n, cara… escrever eh nossa resistência, eh nossa arma contra a mediocridade crítica. mesmo naquele troço.
    abraços… espero vê-lo em breve com os dedos em brasa.
    dmilk//

    antes que eu esqueça – sabe, o algo meio etílico e fálico nesse seu torto… heheheh… o interessante eh q, mesmo seguindo ao reboque das circustâncias, parece ele, o torto, dispor de um agasalhado rumo… ou desrumo, se assim pudesse eu dizê-lo! muita sorte.

    Comentário por David Leite — setembro 22, 2009 @ 2:45 am

  2. Como diria meu mestre, o Zé Pequeno: Malandro não para. Malandro dá um tempo…

    Comentário por spleencharutos — setembro 22, 2009 @ 5:45 pm


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: